Wednesday, March 26, 2008

Valsa Em 3 Tempos

A menina que não tinha passado nunca aprendia

Nem a Kodak lhe valeria

O homem que não tinha presente nunca sorria

Pois o agora nunca o seria

A moribunda que não tinha futuro sempre morria

Verbos mais não o podia


E eu escrevia e escrevia e escrevia

Dia ante dia

Perseguia a alquimia

Almejava a mestria


De ter tempo para o tempo

De encapsular o momento

Valsar com o pensamento

Congelar o sentimento


Mas esvaí-me em letras

Perdi força nas canetas


Amanhã, hoje e ontem