Thursday, May 29, 2008

Descascadas

Gosto quando as mulheres se cobrem, compõem, ataviam depois de nós já termos visto tudo que havia para ver. Agora com esta moda das calças de cintura descaída baralho-me um pouco pois nunca sei se me hei-de concentrar nos decotes de peito ou nos de fim das costas. É muita pressão! E não é que com tanto curso da treta que por aí há, tanta formação de fumadores, tanta actualização de gestores, nunca fazem workshops destas cenas importantes e um tipo vê-se mesmo forçado a desbravar território virgem e a desenrascar-se por si só?

Nunca percebi porque se descascam tanto para depois passarem o dia preocupadas, a ajeitarem-se e com medo que algo de mediático se liberte de amarras e salte cá para fora. Será que, quando saem de casa, não têm mesmo noção de quão decotados, transparentes, enfim, desconcertantes são os trapinhos novos? Será que não percebem que verem-se de frente para o espelho pela calada da manhã é uma coisa, mas que terem de andar, sentar, baixar e gesticular, durante o normal decorrer do dia, é outra?

Quer dizer, eu não me queixo, é daquelas coisas que até pagava para ver, mas que graças a Deus continua gratuita. E adapto-me com facilidade. Se dantes adorava observar as meninas a tirar, através das calças, a cuequinha que teimosamente insistia em resvalar para o paraíso inter-nadegal (e quem pode censurá-la?), agora divirto-me com o ajustar do fio dental em sentido inverso. Não sou esquisito, nem pobre e mal agradecido.

9 comments:

Gi said...

Não podes ver os decotes do peito e os fundilhos ao mesmo tempo, por isso podes-te concentrar numa coisa de cada vez, oh ervilha maluca!

Clepsydra said...

Notável resolução dessa ancestral aporia: sujeito vs objecto; acção vs estrutura; rabo vs mamas!

Noiva Judia said...

que grande dilema o teu, ervilha... o que observar primeiro, o decote ou o fio dental, eis a questão? isso dependerá da preferência de cada um. no entanto, será nocivo tentar observar ambos ao mesmo tempo, pois corre-se o risco de ficar estrábico.

Kitty Fane said...

Essa decisões são, de facto, muito complicadas. :-D

Mars said...

Mas repare, se nós andássemos confortáveis, sem calças justas e a escorregar pelo cu abaixo e mini tops que tapam apenas o bico da mama, vocês, homens, não teriam de enfrentar o dilema entre optar por olhar para o belo busto ou para o belo rego, e isso, meu caro Ervi, seria motivo de suicídio para muitos enfardadores visuais de gajas boas.
Portanto, e como solidárias para com esse espécime humano que é o homem, optamos por andar meio desnudadas por esse mar de ruas de gente, única e exclusivamente pelo bem da humanidade masculina.
Repare também que quando falo no termo "nós", dando a ideia de que pertenço a essa multidão de gajas boas, não tenho, de todo, nada a ver com esse gang cuja finalidade é induzir homens ao dilema acima referido. Privo muito muito a calça larga e a camisola XXL.
E com esta denegrição da minha imagem me despeço.
Saudações.

Ervilha Escriba said...

Gi: Fundilhos? Vê-se mesmo que és do Século XIX, hahaha

Clepy (inventei agora e até soa a doença venérea...): Quando me cruzo com gajas como a da foto e caso não desse prisão eu é que "aporia" de fora!(algibeira, parte IV)

Mighty Noiva: Há casos, não muitos é certo, em que o estrabismo é um preço baixo a pagar...

Kitty: É angustiante!

Mars: Na maior parte dos casos é crueldade para com os animais. Deixam-nos ter um vislumbre do rebuçado mas nem pensar em ter acesso ao frasco!
(e trata-me por tu, please!)

Mars said...

Então oh Tu, que queres frascos de rebuçados meio desnudos, faz um coisa: quando vires um docinho desses passar, agarra-o pelos cabelos e tira-lhe as réstias de invólucro. És capaz de ser violentamente agredido, mas ao menos acabas satisfeito :p

Ervi Mendel said...

Essas coisas só me satisfazem na privacidade e entre adultos (con)sensuais.

Mars said...

ah pronto, então retiro o que disse