Monday, August 25, 2008

O Galo Falante

Tal como o nosso pequeno herói da BD também eu sou vítima frequente de mal-entendidos, com os civis da minha vida a levarem a peito o que eu digo a brincar e a não acreditarem quando falo a sério.
Como é óbvio, neste post, estou só a reinar. A zombar, a mangar, a troçar. Juro que estou! A menos que ainda tenham idade para acreditar em galos falantes ou se chamem Ingrid. Aí o caso já muda de figura e o assunto torna-se mesmo muito sério!

7 comments:

maria teresa said...

Querido Ervi

Não me chamo Ingrid, não acredito em galos falantes (mas em grilos sim) e não devo ser uma civil da tua vida, serei mais uma "generala".
Aproveito, esta "deixa" para te dizer o que há muito penso, deve-se levar a vida a brincar o mais possível, só assim se conseguem superar os grandes dissabores que ela por vezes nos traz. No entanto, o bom senso, a intuição e a sensibilidade devem-nos indicar a "altura" em que é muito importante saber-se falar a sério, principalmente, com aqueles que nos são muitíssimo "próximos" e que ainda significam algo para cada um de nós.

Com amor beijinhos

Noiva Judia said...

Papagaios a falar é comum, agora galos... deve ser um bicho bem amestrado, digo eu!

nagareboshi said...

um galo falante...impossível XD...esta bd é mesmo non-sence

Su said...

Não é defeito, é feitio... Ou será ao contrário..? ; ))

Bjks
Su

Nikky said...

Quem és tu e o que fizeste ao Ervi?!?

MAF said...

Não há galos falantes??????
bem....agora só falta dizer que não existe pai natal

Teresia said...

Então se há galos falantes o pai natal existe?