Saturday, December 6, 2008

O Biquíni Verde

Nunca escrevo para ti
Nunca escrevo sobre ti

As letras no branco
Afogam-me em pranto

Não te quero escrita
Nem em poesia
Nem em prosa maldita

Não te quero escrita
Não te quero pintada
Toda despida
Não te quero esculpida
Toda descascada

Não te quero escrita
Não te quero gravada
Não te quero o biquíni verde
Da nossa primeira alvorada

Que não haja registo
Que a memória se vá
Que a lembrança se perca
Que seja rápido, já, JÁ!