Wednesday, July 30, 2008

Infalível

A melhor técnica de engate que existe é andar de bebé em locais seleccionados. O primeiro passo consiste em desencantar um emprestado. Desaconselho vivamente que os subtraiam sem avisar os pais, pois estes, normalmente, são uns stressados de primeira.

Em geral, as criancinhas são fáceis de arranjar pois os progenitores desesperados até pagariam por algumas horas de sossego. Só o vislumbre de uns momentos em que podem voltar a ter vida própria e quiçá, em casos muito especiais, mesmo mandar uma mangueirada na patareca é motivação mais que suficiente para se desembaraçarem da prole enquanto o diabo esfrega um olho.

Não interessa se é menino ou menina, se é bonito ou feio, se é esperto ou burro. Ao contrário daquilo que as mulheres e de quem já foi pai pensa, os bebés são todos iguais. São pequenos mamíferos macrocéfalos completamente inúteis, dependentes e muito pouco apelativos à vista, já para não mencionar às narinas e, pessoalmente, talvez o pior de tudo, insuportáveis para os ouvidos.

É, como tal, de importância vital, escolher só os pacholas, só os bebés-banana. Daqueles que só choram se, inadvertidamente, os deixarem cair de cabeça, pisarem ou entornarem o chá a ferver por cima. Esta raça de bebé é óptima pois aguenta imensas horas sem mudar de fralda e, inclusive, consegue voltar a ingerir com alegria todos os nutrientes previamente regurgitados.

Para os de vocês que têm medo de segurar em bebés, não tenham! Eles não se partem e têm bastante elasticidade. Pensem neles como na vossa primeira bola de futebol, aquela a que dormiam agarrados noites a fio, fazendo só um esforço para não dar toques em público.

Depois de fazerem ouvidos moucos à lista interminável de conselhos e recomendações psicóticas dos pais, peguem na criança e dirijam-se a um sítio civilizado. Colombo em hora de expediente, El Corte Inglês, Museus, Livrarias ou Expo, são hipóteses que funcionam bem.

Mal o mulherio vos monte o cerco, mantenham-se calmos, mas distantes. Um sorriso educado costuma ser o suficiente. Respondam às perguntas ao sabor da corrente pois como eles são todos iguais nem é preciso sequer saberem o nome ou sexo do bebé. Após as deixaram beijar, despentear e amassar a criança à vontade, é chegada a hora H, quando elas dizem: “Volta ao colo do papá querido”. É aí, meus amigos, que todos os vossos instintos predatórios deverão vir ao de cima. Com as garras afiadas e já a salivar, ao imaginarem a presa no espeto, confessem: “Não é meu, não sou o pai, sou o tio/ amigo/ vizinho/ whatever”.

Elas vão iluminar-se e dizer “oh? A sério?” e é esse o momento perfeito para a cassete do bandido: “adoro crianças”, ”meti um dia de férias só para passar tempo de qualidade com o meu sobrinho(a)”, ”sou viúvo, a minha mulher morreu durante o parto”, ”sim os trigémeos também não sobreviveram”, ”uma dor indescritível, há dois anos que não estou com uma mulher”, etc, etc, ad nauseum....

18 comments:

cba BDS said...

Será que algum dia os teus sobrinhos te vão perdoar...
Além disso raras são hoje em dia as crianças pacholas, são muito mechida, não param mesmo quietas, situação que para uma pessoa sem experiencia é complicada. Podes dar graças a evolução cientifica que tem as fraldas cada vez mais duradouras e resistentes ao chichi que ajuda nessa parte, mas caso saia "embrulhinho" as coisas complicam-se. Além disso tens a questão da fominha deles que podes ir de hora a hora (para o mais comilão até ás 4 horas para os mais velho ou dorminhocos).
Sugestão ou melhoras a técnica ou entras pela fase da droga, em dozes reduzidas para o manter sempre a dormir, ter em atenção de como depois vais explicar isso aos pais...
Já agora não contes com a mue apoio nem possivel empréstimo da BDS.
Um abraço
P.S.: continuas no teu melhor

Osga said...

Manual de:

"Como engatar for dummies"

Gi said...

Olha que muitas já preferem um cachorrinho ... ou um gatinho!
Exactamente porque já têm sobrinhos ... ou filhos ... ou enteados.

maria teresa said...

Querido Ervi

Tu nunca deves ter sido bebé ou então tiveste uns óptimos pais, que nunca tiveram a tentação de te estrangular. Estás de parabéns por teres sobrevivido!
A tua mãe deve ser uma senhora excepcional por te ter "aturado".

Beijinhos

najla said...

Eh pá...ja vi engates com cães (demonstra virilidade), com gatos (demonstra sensibilidade)...agora com crianças....bem, talvez a única vantagem com um bebé é que o "presente" já vem embrulhado!

ZaniNE said...

Nunca pensei qie precisasses de recorrer a esses esquemas para conquistar mulheres?!

Dá um bocadinho mais de crédito às tuas capacidades... e já agora à inteligência feminina!?

De qq maneira, és sempre divertido!

Noiva Judia said...

eu sou daquelas que prefere os homens que passeiam canídeos. homens com bebés aos colo/pela mão/em carrinhos para mim são um turn off... podes incluir-me na margem de erro da tua sondagem, Ervi ;)

Su said...

ahahahahah

eu confesso que nem sequer olho para os homens com bébés ao colo... mas na volta sou só eu. lllooolll

Su said...

eu e a noiva judia eheheheh

diabo no corpo said...

é com estas coisas que nos apercebemos do quanto és maquiavélico :D

beijo

Nuno T said...

Confesso que prefiro a tática de levar a passear um cão bem rebarbado, que se meta com todas as cadelas. Assim, a probabilidade da cadela ter uma dona boa... ou uma boa dona... é muito alta.

A parte má é que o canídeo normalmente fica erecto, logo, isso pode não agradar às cadelas. A ao animal.

Odracir said...

Não haja dúvida que pode ser um turn off para muita gaja, mas o que é certo é que anda aí muita educadora de infância no desemprego!!! e isso é meio caminho andado para o engate... sim porque um bocadito de formação não faz mal nenhum... passar da teoria à prática é que era!

Nwanda said...

A criancinha funciona, mas não chega aos pés de um Basset Hound, então se o suposto "dono" fizer um olhar triste igual ao do cão? Tá no saco!!

nagareboshi said...

é verdade! o meu irmão tem mais 12 anos que eu então quando eu era pequena ele dizia as raparigas que eu era filha dele e que a minha "mãe" nos tinha abandonado...e eu como gostava a de as ver cair na esparrela ficava caladinha e sorria XD era tão cómico! e como eu era fofinha elas vinham sempre ter connosco XD

nagareboshi said...

prémio de blog com atitude no meu blog =)

Nikky said...

Parece que essa tua táctica deixaria de fora uma série de mulheres interessantes... ;) Aliás, não entendo muito bem a histeria que se gera normalmente à volta de bébés...
A tua hipótese comigo nesta situação seria eu pensar "bem, ele parece-me interessante. E como já tem bebés, se calhar não me aborrece para ter mais". ;D

Woody said...

Os bebés também dão muito jeito para passar à frente em filas nas repartições públicas e nas lojas do cidadão (algo que não é possível com cães...).

Ana GG said...

O truque do animalzinho funciona muito melhor...digo eu...
:)