Friday, September 12, 2008

Lipstick Wars

Muito se tem falado em bâton esta semana nas presidenciais americanas. Sarah “Extremista” Palin, que se define a si própria como sendo uma simples hockey mum, disse durante o seu discurso na convenção republicana a seguinte piada: a diferença entre um pitbull e uma hockey mum é que esta última usa bâton. Eu nem sequer sorri. Achei ofensivo para os canídeos.

Dias volvidos e a propósito da situação política/ económica corrente, cuja responsabilidade é inequivocamente dos neoconservadores mentecaptos, Obama usou um dizer tradicional segundo o qual “por muito bâton que ponhas num porco, nunca vai deixar de ser um porco”. Aí, já me ri. Que nem um leitão.

Os republicanos aproveitaram para um dos seus números usuais de virgens ofendidas, gritando “sexismo” e outras coisas que tais. Em bom português poderíamos explicar-lhes que se enfiam a carapuça, azar! Ou que por muito que a porca torça o rabo, não deixa de ser uma porca e que, com a ajuda do Deus deles, a única casa branca que vai ver é a sua, enquanto levar com neve no focinho durante o longo, escuro e deprimente inverno árctico do Alaska.

E tudo isto sem qualquer desprimor para os suínos, nomeadamente os que lêem este blogue.

Aos republicanos fundamentalistas, porcinos por opção, ignorância, estupidez ou acaso do destino, deixo esta mensagem sentida: if you want to make a difference, contribute to a better world and leave a lasting impression, quit politics and just do it like Anna!