Tuesday, July 17, 2007

O Ginásio VI - The Dark Side of the Force


A oitava maravilha do mundo meteu baixa e foi de férias para parte incerta. Sem a Mamífera o ginásio não é o mesmo. As cores esmorecem, os músculos doem, a alma chora. Nem as pequenas coisas, como quando descobri o “Higienizador de tampo de sanita” na casa de banho dos deficientes, me alegram. Nem o mais tímido dos sorrisos quando constatei que o “solário de luz natural” era um terraço ao ar livre.

As pessoas mais próximas dizem-me que estou com mau aspecto, que preciso de apanhar sol. Que estou com “cor de ervilha quando foge”. Tento explicar que sou albino. Garantem-me que sou português e que,como tal, com o protector solar adequado, “um solzinho não faz mal a ninguém”. Eu só penso em comprar postais foleiros que digam “I’m Sorry” em sete línguas diferentes, em enchê-la de chocolates e flores, serenatas de amores e vestidos às cores.

A culpa não mata mas mói. E eu tenho um grande dói-dói.

Certo dia, recebo a conta do Dr. Domingos de Rãs, e com ela uma nota que diz “És um mouro porreiro, força na berga que mamíferas há muitas! E não te esqueças que cada uma delas bem cum par!”. Este homem é uma força da Natureza. Se não existisse teria de ser inventado. É a prova viva de que a realidade ultrapassa sempre a ficção. As suas palavras têm o condão de me espevitar. É hora de arregaçar as mangas e tornar à luta. When the going gets tough, Ervilha gets going!

Diz o velho adágio que “se não os podes vencer, junta-te a eles” e eu estou pronto para abraçar o “dark side of the force”. Começo pelo equipamento. Vou à Sport Zone e selecciono um sem número de peças de roupa similares às que o povo usa. Ainda olho de soslaio para uns ténis pretos mas começa-me a doer o estomâgo. Vou para os provadores e digo ao senhor segurança que são 27 peças, ele olha-me com desconfiança, mas lá acaba por se resignar. Afinal as mulheres não são fúteis de todo, isto é muito divertido!

Enquanto me miro no espelho, em posições pouco dignas para conseguir ver como os calções me ficam no rabo, entra um casal para o provador ao lado. Estão muito animados e, ao que parece, a provar fatos de banho. No sistema sonoro uma voz indolente e nasalada avisa: “Srs. Clientes só é permitida uma pessoa por cubínculo”. Assim mesmo, “cubínculo”. Os meus vizinhos de ocasião parecem completamente alheados deste facto, ou provavelmente, também não fazem a mínima ideia do que será um cubínculo. A voz feminina diz “esse não, ficas com um grande chumaço”. Risadas. “Hum, esse fica-te mesmo a matar, era já aqui!” opina a voz mais grave. Mais Gargalhadas. Isto é mesmo divertido! Definitivamente a repetir!

Muito entusiasmado com a minha inolvidável estreia como voyeur audio, opto por uns calções Nike, umas bermudas Reebook, uns corsários Adidas, duas t-shirts de manga cava Sport Zone e dois polos Lacoste. Na caixa, quando me apercebo do preço dos dois últimos, quase tenho um ataque catatónico neuro-vegetativo mas tenho vergonha de dizer seja o que for. Que se lixe, a tatuagem vai-me doer ainda mais.

A seguir vou ver dos i-pods, mas perco a coragem a meio. São muito caros e efeminados. Só uma mariposa ou um nerd é que usava isto, um daqueles geeks do pior que deixa comentários anónimos nos blogs dos próprios familiares. Decido confiar a tarefa ao meu velho e fiel Discman. Se a menina pensava que o namorado ficava com um grande chumaço devia era ver-me de Discman dentro dos calções no meio do ginásio...

Não vou entrar em pormenores em relação à tatuagem. Basta saberem que tenho mais medo de agulhas do que de aviões, que desmaiei durante o processo, que a Dona Cristina, enfermeira diplomada, largou o seu almoço no McDonald’s a meio só para me vir acudir e que, no presente, sou o orgulhoso ostentador de uma tribal incompleta no braço direito. Com a ajuda de Deus, há-de chegar. Pelo menos é diferente. Ervilha, o original acidental.

Estou pronto para me metamorfosear num deles, só me falta aperfeiçoar o dialecto local. A partir de agora vou ao treino, faço 30 de elíptica na zona cardio, trabalho os oblíquos, os diagonais e os perpendiculares, distribuo hi-fives e low-fives, bebo cocktails de red bull, isostar e diet coke e passo a contemplar-me lascivamente ao espelho durante dez minutos após cada exercício. Garanto-vos que vai ser cada tiro, cada melro. Mas não se preocupem que eu prometo que não vou descurar a caça grossa...

7 comments:

Anonymous said...

Assim é que eu gosto! Dá-me com mais força que é bom! Vá!

Visconde de Sade

Carreira Bel�m-Amadora(com parag�m na Reboleira) said...

bom quanto � tua passagem pela Sport zone est� do melhor, podemos dizer que vais cada vez melhor. Quanto ao I'Pod sempre podes fazer como o Moi aqui que tanto chateou a namorada (Pea Rosa para os amigos)que nos anitos apareceu c� um em casa, He! He! He! Agora est� farta de ouvir falar dele. Tatuagem, Macho que � Macho...

Ervilha Escriba said...

Visconde:
Your wishes are my command!

Carreirinhas, Pea Rosa e Bébé DS:
Obrigado pelo vosso entusiasmo! Isto ainda piora antes de melhorar...
beijinhos

Pea Alby

Carreira Belém-Amadora(com paragém na Reboleira) said...

carreirinhas... Hummm!!!
Faz-me lembrar o Verão passado.
Pea sem fumar, de manhã acordar, na praia sol a panhar e a TOP MODEL a passar, belo Verão...

Ervilha Escriba said...

Vê lá que já nem me recordava do "não fumar". Lembrava-me do Carreira sem guiar e da top model a bronzear. Aquilo é que era mamiferagem cinco estrelas! E tudo natural!
Pea Nostálgico

Carreira Belém-Amadora(com paragém na Reboleira) said...

nostálgico e nem daqui a 70 anos se necessita de viagra, basta recordar aqueles momentos... redondos...

Ervilha Escriba said...

Monte(s) redondo(s), lá está! Sabedoria de pai é imbatível!
P.